Gritomudo

Gritomudo
#gritomudo

domingo, 22 de janeiro de 2017

Achei num site... Esqueci de salvar a fonte, oh!!!

Autenticidade – tem gente que acha que é uma virtude falar tudo que vem na cabeça. Ledo engano. A incapacidade de filtrar os conteúdos mentais e falar qualquer coisa inconveniente na mesa do jantar pode ser sinal de verborreia um sintoma que está presente em várias doenças mentais.

Pessoa cheia de opinião – ele pode até ser o líder da turma e tomar a dianteira de todas as conversas, digno de inveja, mas se ele não tiver um tempero de afetuosidade, capacidade de dar espaço para os outros brilharem e terem sua vez pode ser que você esteja na presença de um portador de Transtorno de Personalidade Narcisista. Certamente a presença dessa pessoa pode ser legal por alguns minutos, mas com o tempo você terá vontade de manda-la calar a boca de tanto autoelogio que ouvirá. Muitas pessoas com personalidade passiva costumam se associar aos narcisistas, mas certamente é o tipo de pessoa que acaba falando sozinha e dizendo que os outros “têm inveja dela, por isso se afastam”. 

Antes de começar, eu já era capaz de visualizar meu fracasso...

Cheguei a sentir que eu não era boa o suficiente para conseguir alcançar minhas metas. 
Não devo ser injusta: alcancei, sim, metas que não eram as minhas (e não foi preciso olhar muito lá pra trás para perceber).

Eu, que, até aceitava os riscos, destemidamente, não entendia: "- Mas como assim, bater na trave???" Resposta: FALSA AUTOCONFIANÇA!!!

É preciso entender que não há nada que não tenha sido feito para nós, mas, tb, é preciso oportunizar - se, Desembotando os olhos, se pode descobrir que temos mais qualidades do que pensamos.

Detalhe IMPORTANTÍSSIMO: ninguém pode te fazer sentir inferior COM O SEU CONSENTIMENTO OU NÃO.




sábado, 21 de janeiro de 2017

Moçx, elx não ter quer mais... Se que é algum dia quis!

No fim, elx não sente saudade de você. O que elx sente é o ego ferido por não te ver mais disponível.




Convenci mais de meio mundo
Que o meu corpo não era mais seu
Que eu estava mais do que feliz sem você

Conheci olhares e perfumes
Perverti até meus bons costumes
Inventei romances só pra te esquecer
Mas, não deu

Eu vou dormir só pra sonhar com você
Te seguir
Não quero mais acordar
Nunca mais
Oh, no no
Never more, jamais plus 

Oh, essas ruas sempre tão vazias
Estão cheias de más companhias 
E eu
Sozinha 
Procurando você
Já cansei

Eu vou dormir
Só pra sonhar com você
Te seguir
Não quero mais acordar
Nunca mais
Never more
Jamais plus




A Banda: Metrô (show lindo na Unibes Cultural, em setembro)
Da banda: Virginie e o Fruto Proibido (Albino 'batera' Infantozi, Dom 'Pensando Nela' Beto e Nilton Leonardi)

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

" - Nossa, eu pensei muito em vc..."

...Sua orelha não ardeu???

Esta semana os astros me reservavam algo de muito legal, segundo os oraculistas. Fiquei na buena vibe, aguardando o que poderia ser.

- Então... eu não quis te mandar para não te assustar... Mas...

De tudo eu só não lembrava da roupa que vestíamos. Mas, revivi uma avalanche de emoções, em pouquíssimos minutos. 

Há pouco recebi a foto. Nem olhei direito! Fechei a tela, para olhar aos pouquinhos, depois. 
12 anos... De tanto, eu mudei tão pouco! Um tanto pra melhor e noutro tanto, me piorei. Porque, talvez, seja para ser assim mesmo. Eu, responsável pelos ritos de passagem. 

"O que é que desvirtua e ensina?"


"O mecanismo da amizade.

A matemática dos amantes

Agora, só artesanato

O resto são escombros"



quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Porque, comigo, nada é 'coisa pouca'!!!

"Desculpe, mas migalhas de amor não alimenta a fome que tenho."

(Deusa Poetisa)

Dp da trinca noite em claro - enxaqueca - quarto escuro, resolvi levantar sem tanta decisão do que fazer. A verdade é que eu PRECISAVA fazer algo com aquele ingresso, comprado num impulso consumista, admito.

Enquanto verificava, pela décima terceira vez, a pasta dos documentos que deveriam já 'de velhos' estar na outra pasta, pensava que a tentativa de vender na porta UM ingresso que me pertencia, poderia, de verdade, me levar para a cadeia. Na décima quarta tentativa de encontrá - lo, desisti! 

Consciência: "Talvez seja o Universo conspirando pra que vc não vá..."

Resposta: - Pois, encontrou a PIOR forma de me convencer!

Liguei o rádio e fui pro banho. A preocupação passou a ser: ir de Metrô, ou de Uber? Colocar um vestido curto, perfil daquele show, ou um 'discretinho' pra ficar mais à vontade?

A ocasião pedia uma maquiagem e minha cara, idem! Pálida feito uma folha de sulfite, fiquei me revezando entre os dois espelhos para não perder a mão. Perdi! Definitivamente, mesmo: o mate, batom vermelho é só para quem tem 'pegada'! Borrei e optei pelo gloss, preferido de todos os dias.

Toda em ordem (pelo menos, pro meu gosto!) em 35 minutos eu estava no local do evento, ensaiando sorrisos para todos, inclusive para o poster e para o poste. Na bilheteria fui vomitada por um texto pronto: - Só com B. O.!!!
Acho que minha cara foi tão explicita ao expressar minha surpresa indignada, que a moça resolveu trabalhar um pouquinho.

Ela voltou, narrou minha vida nos últimos oito anos, em oito segundos, e quando chegou na parte do mesmíssimo texto, não resisti... - Moça, EU NÃO FUI ROUBADA! O ingresso está muitíssimo bem guardado NA MINHA PRÓPRIA CASA.

- Ah, porque se vc jogou no li... 

- Moça! Tudo bem que minha consciência não é assim tão sã, mas ainda não cheguei ao ponto de rasgar dinheiro... E NEM DE JOGAR INGRESSO DA FILEIRA DA FRENTE no lixo!

Espera - espera - espera... O segurança veio me dizer, pela oitava vez, que havia guichê livre ao lado e eu, pela oitava vez sorri, mas mudei minha resposta: MOÇO, TENHO T.O.C. E NÃO UTILIZO GUICHÊS DE NÚMERO ÍMPAR. Obrigada, 'denada'!!!

'- Espera, que vou te acompanhar até a entrada!' 
Nem tive o gostinho de pegar o ingresso inteiro nas mãos. Com a metade que me restou, fui para o último lugar que havia na fileira da frente. Quem quer ver a banda toda, também, né? O importante é ver o cantor!!! Não 'meu riso não me convencia' (frase de música do outro cantor, sex symbol, pero no mucho).

Sentei - me nos ísquios, que nem mocinha (para fazer jus ao vestido elegante e discreto). Meu corpo pedia por carbo, tipo BATATA FRITA e por algo gelado, desde que fizesse um estrago pior do que faz a Coca -  cola: cerveja! - (...) Sem álcool, por favor (e o medo, não de ficar bêbada, mas da combinação bombástica, se misturada com Advil).
Não! Não tem copo da Budweiser feat 'galã'. Mas, se tivesse, no fim show eu sairia catando (com toda elegância, é claro!) todos os que eu encontrasse (grana e$tra para ga$tar no cru$eiro!).

Pouquíssimo para o início do show chegaram os ocupantes das outras 3 cadeiras: um marido (disfarçando sua indignação, que passados alguns minutos, acentuou, com a cerveja quente), a parceira e uma amiga.

Eu, de cara nas batatas, esquecida da cerveja e louca no celular, fui convidada pra um brinde. Logo de cara saquei a curiosidade do povo e 'das póvas': agradeci por não terem comprado a mesa toda!
Um tanto de conversa e o artista resolve, com sua previsível meia hora de atraso, iniciar o show, começando pelos backings. Ops! Tsc, tsc...!!!

Tudo muito dançante, porém, além dos gritos de 'toca lá em casa' e similares, as 'meninas' sentadinhas, agitavam nervosamente as mãos (calor e chapinha não combinam; e aparecer desgrenhadas da frente do artista, mesmo sem ser vista por ele, não pode!)

Assim foi, até a meia hora final, quando uma loira(sic) de vermelho passa por todxs e ocupa um lugar bem na frente do palco. A segurança, rapidamente, retira as marcações e as meninas correm, feitos loucas, para a frente do palco. Eu, tomada pela energia delas, sem pensar, fui também. Quando percebi eu era puxada, pelos braços, para cima.
Um momento de lucidez, fez - me agradecer pelo shortinho (ainda que curto!) por baixo do vestidinho suuuuuper larguinho, quando o assanhado vento escapou do ventilador. Algumas fofas, solidárias (ou não!), tentavam, praticamente em vão, organizar os tecidos levíssimos da minha saia. Eram dois: o cantor e o roldie liiiiindooooo, que me sustentavam pelos braços, enquanto eu apoiava o joelho do tornozelo lesionado (e, sim, de salto!), no proscênio. 

Comecei uma brincadeira: levantei - me com a cara mais sapeca que havia no meu repertório, arrumei o vestidinho e, novamente em ordem (pelo menos no figurino!), comecei a dançar pra ele. Judiação desperdiçar um solo de sax! Fechei os olhos e, num repente, senti uma (in)certa violência, até já conhecida (quem nunca foi pega pelos cabelos na balada jamais saberá!) e de antemão consentida: os lábios dele se grudaram nos meus!

Só abri os olhos no fim daquele beijo - selinho - desajeitado, que brigava com um violão que desafinou - se entre nós. Olhei dentro dos olhos dele e respirei fundo: sim, um sopro de vida me entrara pelos lábios!
Inflada de felicidade só não flutuei, pois o mesmo roldie gato me pegou pelo braço e, enquanto eu procurava lembrar quem eu havia sido até então, me deixou num canto escuro da coxia: - Fica aqui, não sai sob risco de morte!
Imagina que eu, que havia acabado de renascer, correria tal risco...

Eu já sabia que aqueles eram os últimos acordes e comecei a preocupar - me com a realidade: como ir embora dali, se eu nem sabia como havia chegado???

- Vem comigo, vem, vem... 

Ele me puxou pelo braço.

- Que graça, vc! Qual o seu nome?

- Era Eliana, agora já nem sei!

- E sua mãe sabe que vc veio?

- Com certeza, deve estar morrendo de rir 'lá de cima'!

- Maluquinha!

- Preciso ir embora...

- Vai na paz, vá com Deus e brigaduuuuuuuu...






Ficção ou não, é da minha conta... E já tá paga!



quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Desvincular-se de certos mandamentos familiares e sociais é algo saudável



“Nenhum legado é tão rico quanto o da honestidade.”
-William Shakespeare-


(...) às vezes é melhor ser a ovelha negra do que um personagem inventado por essa falsa perfeição que define algumas famílias.

Cada família é como um clã. É uma dimensão dinâmica e terrivelmente complexa onde se incorpora um legado emocional, um passado, certas crenças, repressões, e obviamente certos mandamentos. Viktor Frankl, célebre neurologista e psiquiatra austríaco, escreveu no seu livro “The Doctor and the Soul” que a única coisa pior do que o sofrimento é que o próprio sofrimento não tenha testemunhas. 

Ser família não implica lealdade devota apenas por causa do mesmo sangue. Não se isto nos impõe um destino. Não se ser você mesmo tem consequências e nunca se estas dinâmicas nos submetem a um tipo de ciclo infinito de infelicidade.
Às vezes desafiar e quebrar os mandamentos do clã familiar é muito mais do que uma obrigação: é uma necessidade. É o direito e o dever de reafirmar a própria integridade pessoal para que a nossa própria identidade não seja comprometida.



Na íntegra: 

O que é o amor crepuscular?

(...) o amor crepuscular se refere a esse sentimento tranquilo, de carinho e compreensão, que chega justo na hora em que precisa aparecer. É um resumo de experiências que envolve a sabedoria de saber o que não queremos e o que o nosso coração anseia com força.

(...)

Um sentimento de união entre duas pessoas que não tem nada a ver com os rigores, a pressa e os exageros de relacionamentos passados. Chega uma hora em que sabemos perfeitamente o que queremos. (...) urge um profundo conhecimento de nós mesmos e de nossos sentimentos 


Clint Eastwook e Meryl Streep em "As Pontes de Madison". Paixão no ocaso de duas pessoas que descobrem que ainda têm um coração que bate no peito.

Na integra:



...


Seu relacionamento amoroso tem feito você crescer? - Sri Prem Baba

Existem certas lições que você só pode aprender com suas relações amorosas, porque elas são catalizadoras de todas as suas feridas, de tudo aquilo que não está integrado dentro da sua constelação familiar. Todo seu passado é reeditado na relação amorosa para que você tenha a chance de integrá-lo, de curar essas relações familiares que ainda estão, de alguma forma, infringindo dor no seu sistema.

O objetivo maior de um relacionamento amoroso é sustentar o êxtase. É sustentar a conexão da energia sexual com o coração aberto: o encontro de duas correntes positivas, dois sins. Esse encontro aponta a direção da suprema liberdade e só é possível se existir amor e liberdade.

Muitas vezes, você mantém seu relacionamento para poder ter onde projetar suas ilusões. O outro é uma tela em que você projeta seus sonhos e quando ele quer deixar de ser essa tela ou quando você sente que não está mais conseguindo projetar seu sonho nessa tela, você acaba com o relacionamento. Mas você fica ansiosamente aguardando o momento de encontrar outra tela para continuar projetando o seu sonho. Outras vezes, você mantém o seu sonho fazendo do outro um escravo para atender os seus caprichos. Você força o outro a te amar, porque acreditou que se ele fizer do seu jeito, ele te ama. Não se engane: isso significa aprisionar o outro.

Se você está com alguém, comece a se perguntar: por que estou nessa relação? O que me mantém aqui? Não tenha medo de ser honesto consigo mesmo. É só a mentira que cai, a verdade nunca cai. Se o que te mantém nessa relação é o amor a Deus e à liberdade é porque você está se expandindo na luz; está crescendo dentro do programa estabelecido pela sua alma. Se for assim, zele por essa relação, firmeza no amor, no perdão, na liberdade e siga em frente. Mas se você está na relação por outras razões, tenha coragem para olhar o que te mantém aí. Dê essa passo a seu favor. Estou querendo que você rompa com a mentira e siga se expandindo.

Na íntegra:



terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Ontem... já era hj.

"Já vai tarde" - dizia meu sono! Pouco depois das 3pm e meu grilo falante só repetia 'Me ajuda a te ajudar', palavras ditas pelo neurologista, na tentativa amenizar minhas dores de cabeça (sim, são várias!)

Resolvi dar a última (jurei que seria!) olhada no Facebook e eis que sobe uma janela com a foto de um homem 'liiiiiindo'. Não demorei para reconhecê - lo! O fuso horário marcava a diferença de 3 horas e dois minutos.

Ele, dp de perguntar se estava tudo bem comigo e logo após a pergunta "...e vc?", ele começa uma narrativa escrita, seguida de fotos. Eu o lia e constatava que nossos sentimentos eram exatamente os mesmos! Resolvi dizer à ele algo que eu não faria, mas em forma de pergunta: "Por que vc..." Dada a resposta, entendi. Ele me falou de saídas e silêncios... PRA ME FAZER ENTENDER A DIFERENÇA ENTRE ORGULHO E RAZÃO.

"Caia na realidade, fada!"

(Essa história termina num post à seguir.)


"Eu me rendo"... (ou, aproveitar que estou enxergando em dobro...)

...E, para completar, eu havia perdido o ingresso. Mas, bastou que eu colocasse os pés fora de casa,..



Naquela noite (siberiana!) de 2015 assisti à um show impecável. Não que este não tenha sido, mas previsível, eram exatamente os mesmos textos e o mesmíssimo set list... Porém, deparei - me com um cara que pareceu - me muito mais jovem. Fiquei procurando, nas rugas, o motivo, que encontrei nas entrelinhas do que meus olhos viam: felicidade!

Fui sendo, gradativamente, tomada por um desejo enorme de dançar (pra variar, entrei na energia do outro). Impossível! Grade de show de rock é mais segura do que estar perto de palco do F. Jr., definitivamente!!!

Tomada pela intensidade das falas, até pensei que talvez, eu quisesse ser melhor, terminado o show!... Ps: pena que vontade dá e passa, tsc, tsc... 

"Um jeito, um gesto, um golpe de ternura e a vida volta
logo pro lugar
Uma palavra é uma coisa dura, só sentimento pode
libertar
O tempo faz o jogo dos desejos, eu sei que você sabe
esperar
O dia amanhecer por entre os dedos, e aí saber que o
sonho é bom demais

Felicidade, brilha no ar, como uma estrela que não
está lá
É uma viagem, doce magia, uma ilusão que a gente não
escolhe
Mas, que espera viver um dia

(Felicidade!)
Quando estou em sua companhia
(Brilha no ar!)
E nos seus olhos me deixo bilhar
(Felicidade!)
Eu vejo aquela estrela, fantasia, mesmo
sabendo que ela não está lá

Felicidade, brilha no ar, como uma estrela que não
está lá
Conto de fadas, história comum, como se fosse uma
gota d' água 
Descobrindo que é o mar azul 


Sem mais.
Obrigaduuuuu... De nada!


Em tempo!!!




Toda quinta, às 22h (horário de Brasilia) na Rota 99 Web Rádio, comigo!!!



Sessão Beterraba, tocando o melhor do cancioneiro bicho - grilo tupíniquim. 
MPB de quinta!!!

UM CLÁSSICO DA MPB...


A NOVÍSSIMA MPB...


O COMPOSITOR (COM FAUSTO NILO)


"Pra libertar meu coração 
Eu quero muito mais 
Que o som da marcha lenta 
Eu quero um novo balancê 
O bloco do prazer 
Que a multidão comenta 
Não quero oito nem oitenta 
Eu quero o bloco do prazer 
E quem não vai querer? 

Mamãe, mamãe eu quero, sim 
Quero ser mandarim 
Cheirando gasolina 
Na fina flor do meu jardim 
Assim, como o carmim 
Da boca das meninas 
Que a vida arrasa e contamina 
O gás que embala o balancê 

Vem, meu amor, feito louca 
Que a vida tá pouca 
E eu quero muito mais 
Mais, que essa dor que arrebenta 
A paixão violenta 
Oitenta carnavais 

E da série "logo eu..." que tem circulado pelo Facebook


"Achou que ia mexer comigo e não ia se espetar...
LOGO EU, QUE SOU🌹!!!"

"Ah, Rosa, e o meu projeto de vida?
Bandida, cadê minha estrela guia?
Vadia, me esquece na noite escura
Mas, jura
Me jura que um dia volta pra casa"






sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Tenho me espantado com minhas atitudes, neste últimos tempos...


Talvez a tal maturidade chegando,mas tenho preferido a distância do que questionar, argumentar, contornar situações, mediar... Eu, quase sempre, fui destas que chuta o balde! Hoje observo e, se for o caso, é só ir deixar que os laços se desfaçam sozinhos.

Eu gosto de companhia...


...para ir ao mercado, para ir no 'moço das embalagens', para ir à lojinha, para almoçar na cozinha de casa. Mas, tem momentos que quero só pra mim, quero vivê -los sem interferência e qualquer tentativa do contrário, é mesmo, como se invadissem minha intimidade.

Gosto de viajar e de ir em shows sozinha. Ao Teatro, normalmente gosto e, ao cinema, fui recente e não achei ruim. E gosto de ir em baladas de dançar sozinha, tb... O que não quer dizer que eu vá ficar sozinha o tempo todo!


Assistir ao show de um artista ou banda que gosto, me leva pra um lugar incrível, de transe, de hipnose. Eu não canto junto, eu não fecho os olhos... Respiro profundamente entre as frases musicais e bem lentamente em algumas notas, desejando que levar comigo o que não vou fotografar, ou gravar. Eu não faço questão de catarses. 
Sim, vou por mim!



Qualquer semelhança...


Paloma negra...

“Qual é o meu caminho? Esperar-te? Esquecer-te? Fazer o que você faz, ir para os braços de um e de outro, hoje dormir com alguém e amanhã com outro diferente?”
-Frida Kahlo-


segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Isso explica muita coisa, Marcelo Dalla!!!


Criatividade, flexibilidade, curiosidade e capacidade de improviso ganham destaque com a Lua em Gêmeos. Fique atento, muitas situações continuarão vindo à tona para indicar o que precisa ser mudado e os novos rumos que convém tomar. É tempo de importantes libertações, limpezas e desintoxicações. Isso permite promover uma verdadeira faxina em sua vida. Se houver rupturas e rompimentos, é porque algo novo, maior e melhor virá adiante.

(Horóscopo do UOL)


"Quem mais sabe de mim é o espelho do meu camarim..." (Lucinha Lins)

https://catracalivre.com.br/geral/inusitado/indicacao/garota-viraliza-e-encontra-varias-irmas-gemeas-ao-redor-do-mundo/

"Você é uma pessoa única. Mas com certeza existe alguém praticamente idêntico a você - pelo menos, de aparência - neste mundão de 7 bilhões de habitantes."


Essa matéria, publicada no site Catraca Livre, me trouxe uma memória emotiva, num primeiro momento não muito boa. Dp o sentimento foi se transformando em calma e gratidão.

Há alguns anos, eu, moleca, me relacionei com um garoto, ainda mais garoto do que eu, até. Não lembro o tempo que durou a história, talvez não muito, mas o suficiente pra um coração ser machucado: conheci outro garoto um pouco menos garoto. A forma como aquele um descobriu este outro foi a pior. 
Lembro de não ter ligado tanto, outras pessoas se incomodaram mais, pra o que hj se diria 'vida que segue'. 
Passado algum tempo, uma pessoa em comum, mostrou -me as fotos da namorada, hj esposa, deste garoto, hj um homem (acho!). Já haviam observado: A MENINA ERA A MINHA CARA!!! 

Volta e meia, por anos, batia um inconformismo, por eu, tão já articulada, não ter sabido lidar com a situação da maneira socialmente aceita. 

Ao ler essa noticia, que normalmente não me faria investir meus dados moveis, imediatamente lembrei - me da antiga foto e a sensação de leveza foi in - crí - vel! Como se aliviasse um peso das minhas costas. 

Corri para para o Face estalquear um perfil e... HOJE ESSA MULHER EM NADA SE PARECE COMIGO! E entendi que fui perdoada por instâncias maiores.

Obrigada, de nada!!!




Feliz Ano Novo!!!

O que vai envelhecendo um ano para mim é o cansaço da mesmice, causado pelos problemas de sempre. Este ano foi um ano surpreendente, pois, além dos problemas de sempre, tiveram outros, portanto, posso dizer que foi um ano bacana.

Numa livre interpretação, 2016 começa com uma placa BEM GRANDE de 'pare'. 
Aí, eu respondi: - Não consigo parar sozinha! 
Ele: - Consegue, sim, quer ver?

Isa: 'congelar para proteger'! 
E fiquei, do fim de fevereiro ao fim de julho, entre a cozinha e o quarto, experimentando formas de me locomover.

Ler era uma possibilidade de distração, mas virou obrigação. Li dois, de três volumes e teria lido o terceiro, se o tivesse. Pretendia ter uma história pronta, mas, ficou só no esboço.

Neste tempo, tive que sentir tudo sem poder 'sofrer viajando'. Alternaram - se momentos de angustia e resiliência. Mas, sempre tem a música e, mais uma vez, as letras foram meus guias e a melodia, minha catarse. Parece até que foi desenhada a volta da Rota 99!

"Foi por pouco" - posso considerar, tal expressão, um advérbio de tempo??? Este foi o ano em que os limites penderam para o '+'!

Foi por pouco que:

- não precisei parafusar a fíbula; 
- não tenho culpa nesse cartório;
- consegui entrar no curso de Pedagogia da UNESP; 
- consegui fazer valer minha ingenuidade (e certeza de que tive a ajuda do Universo), pra sair de uma situação perigosa e delicada;
- não invisto numa viagem que, havia muito, eu desejava;
- consegui ser aluna do intenso curso do Ivaldo Bertazzo, na Escola do Movimento;
- entendi que até pra ser legal existe um limite;
- consegui conhecer Curitiba.
- mais uma vez não cuidei, como uma joia, das expectativas (e sonhos!) de alguém;
- não me deixei levar pelas emoções que vem, terminada a tolerância.







Entendi, na prática, o significado supremo de ética, e que a pergunta: "- Será que elx faria o mesmo, se a situação fosse contrária?", é para ser respondida e levada em consideração, principalmente, porque lidar com maestria com as consequências exige calma.

Entendi, que vencido o prazo de validade da vida, se está à mercê do outros e da própria sorte.
 
Que as relações de amizade são baseadas em interesses nobres, ou não. Que relevar situações desagradáveis é zona de conforto. Maturidade é enfrentar tais momentos com propriedade e sabedoria (e se tiver  espaço para a elegância, melhor!).



Que nas entrelinhas da vontade de ir embora tem questões que precisam ser consideradas, sempre. É preciso não se importar com a diária paga e nem com a passagem anteriormente marcada. Se seu direito de ir e vir estiver vinculado a algo ou alguém, NÃO VÁ!

Que curiosidade e carência podem causar arrependimentos, se não bem administradas.

Entendi o quanto é importante não cruzar o fio que separa a vida profissional do que é pessoal.

Que prometer significa cumprir. Melhor fazer sem prometer!

Que ajudar ao próximo, ou retribuir à alguém deve ser a partir de algo que a pessoa goste, ou precise. E que a sensação de missão cumprida é in - crí - vel!!!

Que não sou tábua de salvação de ninguém. 

Que usado com sabedoria, o Facebook é uma mão na roda!

Que 'ano novo' são todos os dias e que cada dia é tão único que deve ser vivido plenamente.
E quanto ao que não vale a pena, nem sempre sou eu quem determina tal juízo de valor!

GRATA POR TUDO E POR TANTO!!!